Artigo de Guilherme André
22-04-2020

Apresentado em 1948 no Salão Automóvel de Paris, o Citroën 2CV tornou-se num verdadeiro clássico. De facto, em Portugal existe um verdadeiro culto à volta deste modelo francês. É comum verem-se alguns pelos passeios de clássicos, contudo, dificilmente vai encontrar algum como o deste artigo.

Leia ainda: Este Volkswagen Pão de Forma é um foguete que chega quase aos 500 km/h

O artista finlandês, Olli Erkkila, é conhecido por modificações artísticas a motos e automóveis. Relativamente a esta unidade, tudo começou com uma “carcaça” de um Citroën 2CV de 1956. As modificações começaram, desde logo, pela distância entre eixos aumentada. Ao nível estético, há pouco de série e praticamente todas as peças tiveram de ser feitas à medida para encaixar na perfeição. Destaque para a ausência de guarda-lamas, algo que confere o típico e clássico visual hot rod muito conhecido nos Estados Unidos da América. De referir que as portas abrem tipo “suicida” e recebe uma capota de lona.

Junte-se ao Automundo no Instagram.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por automundo.pt (@automundo_pt) em

Citroën 2CV recebe jantes raiadas dos anos 30

No que diz respeito a propulsão, o visionário substituiu o 2 cilindros de 9 cv por um motor mais moderno do 2CV. Por fim, Olli terminou o projeto com jantes raiadas da Ford dos anos 30, um sistema de escape redesenhado e ainda uma pintura em prateado. O interior, como se pode ver pelas fotos, tem apenas o básico para que o carro possa andar. É verdade que clássicos como o Citroën 2CV merecem manter-se de série, mas esta personalização é, para alguns, uma verdadeira obra de arte.

Clique aqui para se juntar ao Automundo no Facebook

Percorra a galeria e conheça o clássico modificado.

Artigos Relacionados

Artigos Relacionados

Top