Artigo de Guilherme André
26-09-2019

Marc Marquez é um dos pilotos com mais sucesso aos comandos de uma Honda ao ser campeão cinco vezes nos últimos seis anos. O espanhol está convencido que para se ter sucesso com a RC213V é necessário ter uma pilotagem agressiva e uma grande preparação física para “domar” os 260 cv.

Leia ainda: Hyundai inicia testes do elétrico de competição Veloster N ETCR

Em declarações à imprensa internacional, Marquez afirma que “agora temos mais potência, contudo, temos de melhorar em curva”. Apesar de liderar o campeonato com 98 pontos de vantagem para Dovizioso (Ducati), o espanhol acredita que “é uma moto difícil de pilotar, tem de ser aperfeiçoada. Ainda assim, acho que é a melhor moto para o meu estilo de pilotagem”.

Clique aqui para se juntar ao Automundo no Facebook

De facto, olhando para a tabela, apenas Marc consegue tirar todo o potencial da moto. É necessário descer até ao nono lugar para encontrar Cal Crutchlow (98 pontos) com a segunda melhor Honda. Já o seu colega de equipa Jorge Lorenzo tem estado bastante longe das expetativas com maus resultados sucessivos. Depois do último GP em Aragon no fim de semana 20-22 de setembro, o espanhol encontra-se no 19º lugar do campeonato com apenas 23 pontos.

Marc Marquez acredita que é preciso estar no topo da forma física para conduzir uma Honda em MotoGP

Marquez falou ainda de outro motivo que pode influenciar a adaptação à RC213V. O piloto salientou que “se não estás bem fisicamente, é impossível seres rápido com esta moto. Somos pilotos e desportistas, temos que estar em forma”. Por um lado, Crutchlow continua a sofrer as consequências da grave lesão que sofreu, ou seja, um fator que tem prejudicado os resultados em corrida. Já Lorenzo, para além dos problemas físicos, não tem a mesma intensidade de treinos que Marquez.

Veja também: Lewis Hamilton aborda possível revalidação do título de campeão

Perante isto, a Honda tem uma grande questão em mãos: e quando o Marquez sair? Correm rumores de que a Ducati está disposta a fazer um esforço para oferecer 15 milhões ao espanhol para se mudar para a marca de Borgo Panigale. Por fim, caso isso aconteça, a marca nipónica não tem nenhum piloto com perspetivas para lutar pelo título num futuro próximo, o que pode levar a Alberto Puig a procurar uma outra opção. 

Artigos Relacionados

Artigos Relacionados

Top