Artigo de Guilherme André
07-10-2019

Recentemente, a McLaren e a Mercedes-Benz anunciaram que vão voltar a cooperar em Fórmula 1 a partir de 2021. Assim, a formação britânica vai deixar de utilizar motores Renault e passa para os híbridos da marca alemã. “Este acordo é um passo importante no nosso plano de longo-termo para regressarmos ao sucesso da Fórmula 1”, disse Zak Brown, CEO da McLaren Racing. No entanto, a McLaren tem de continuar a ser realista apesar deste novo desenvolvimento.

Leia ainda: Marc Marquez sofre queda violenta no FP1 do GP da Tailândia

Andreas Seidl, chefe de equipa da McLaren, avisa que não se deve criar grande ambições tão cedo. Quando questionado pela imprensa estrangeira se vão ser rivais do “Silver Arrows” em 2021, Seidl respondeu que “não, absolutamente não”.

Seidl explicou ainda que o sucesso das principais equipas de F1 não se deve apenas por terem mais dinheiro. “Eles simplesmente fazem um melhor trabalho. Assim, para nós é importante garantir que damos os próximos passos como equipa para fazermos também um melhor trabalho”, disse.

Veja o vídeo:

McLaren relembra que ainda tem um ano e meio pela frente com a Renault

Durante a intervenção, o chefe de equipa afirma ainda que o objetivo para a próxima época de 2020 é saltar em termos de performance. “Temos de voltar para valores entre os que temos agora e as equipas de topo, isso seria um grande passo”. Para além disso, frisou que ainda falta um ano e meio para a mudança para a Mercedes. Como tal, estão focados na cooperação que têm com a Renault. “Nos temos uma grande relação com a Renault. Eles foram importantes para o nosso resultado este ano, eles evoluíram bastante”.


Clique aqui para se juntar ao Automundo no Facebook

Fotos: McLaren Racing

Artigos Relacionados

Artigos Relacionados

Top