Artigo de Guilherme André
12-06-2020

Numa altura em que o campeonato deveria estar em fase avançada da temporada, os pilotos continuam com os motores desligados e, na categoria rainha, todos em pé de igualdade com zero pontos. Depois de vários adiamentos e provas canceladas, parece que a entidade promotora de MotoGP conseguiu, finalmente, criar um calendário para a temporada de 2020. Assim, apesar da pandemia de coronavírus, Miguel Oliveira e companhia vão realizar 13 provas apenas na Europa. Existe ainda a possibilidade de quatro corridas adicionais fora do continente, mas ainda não há datas definidas para os mesmos. Falamos de América, Argentina, Tailândia e Malásia.

Leia ainda: Ferrari vai ter dificuldades no regresso da Fórmula 1

O campeonato arranca assim a 19 de julho com o Grande Prémio de Espanha no circuito de Jerez. Curiosamente, para fazer frente a todo um novo paradigma, a segunda prova será igualmente em Jerez, mas denominado GP da Andaluzia no fim de semana de 24 a 26 de julho. No entanto, esta medida de duas corridas no mesmo traçado não é exclusiva deste circuito. De facto, Spielberg, Misano, Aragão e Valência, seguem as mesmas pisadas.

Junte-se ao Automundo no Instagram.

Circuito de Mugello é a mais recente cancelamento em MotoGP

Por fim, o mais recente cancelamento é o Grande Prémio de Itália no mítico circuito de Mugello. Perante esta desistência, o campeonato de MotoGP ficou ainda mais “espanhol” visto que das 13 provas, 7 são em território ibérico. Quanto a Portugal, ainda se pôs em causa a realização de alguma prova para colmatar a desistências, mas parece que a ideia não seguiu em frente. Seja como for, os fãs devem estar ansiosos por voltar a ver os motores a rugir, algo que apenas aconteceu a 8 de março no Qatar com as categorias de Moto3 e Moto2.

Clique aqui para se juntar ao Automundo no Facebook

Conheça o calendário.

Artigos Relacionados

Artigos Relacionados

Top