Artigo de João Isaac
30-10-2019

A introdução do Tarraco na gama da Seat veio fechar a família de SUV que teve início com a apresentação do Ateca e posteriormente com a do Arona. A aposta da marca espanhola está mais do que ganha, criando com a sua gama SUV um terceiro e robusto pilar, para além do Ibiza e do Leon, no qual tem suportado um notável crescimento das vendas.

Sendo não só o maior SUV como também o maior automóvel da Seat, o Tarraco é aquele que melhor responde às necessidades de uma grande família, sendo possível transportar até um máximo de sete passageiros. No entanto, a terceira fila de bancos é um opcional (710 euros) de que o “nosso” não dispunha, pelo que no seu lugar surge um imenso e prático vazio onde é difícil imaginar um objeto que não possa ser transportado. Os 760 litros são expansíveis a uns colossais 1920 litros e o rebatimento pode ser feito a partir da bagageira.

Leia ainda: Novo Renault Clio, a enorme responsabilidade de renovar um best seller

Para além de todo o espaço disponível no banco traseiro, quer em altura, quer para as pernas, os seus passageiros contam igualmente com luxos como os bancos aquecidos e o enorme teto panorâmico. Para os mais pequenos, as grandes janelas são uma mais-valia para as viagens mais longas. À frente, o condutor dispõe de amplas regulações, quer do banco elétrico, quer da coluna de direção, para encontrar a melhor posição ao volante, algo que é fácil de fazer independentemente da estatura. Para além da boa posição de condução, a visibilidade é boa em todas as direções.

Comportamento dinâmico acima da média

Ao volante, apesar dos seus 4,73 metros de comprimento e dos 1800 kg de peso, o Tarraco transmite sensações dignas de um automóvel bem mais pequeno e leve. Longe de ser uma proposta pensada para uma condução entusiasmante, o Tarraco cumpre com distinção no que ao comportamento diz respeito. Não nasceu com o intuito de ser o mais rápido a curvar, mas agradará certamente a quem valoriza um comportamento eficaz e que não pode mesmo prescindir do espaço e sentido prático de um SUV como este.

Veja o vídeo:

Por outro lado, graças ao controlo adaptativo do chassis, com amortecimento pilotado, o Tarraco facilmente se ajusta aos vários tipos de piso ou de condução. Se no modo mais dinâmico surpreende com um bom controlo dos movimentos e da trajetória, ao selecionar o perfil de condução que coloca a suspensão na sua configuração mais branda, o maior dos Seat fica verdadeiramente confortável, com uma boa sensação de flutuabilidade e quase sempre sem pancadas desagradáveis apesar das enormes jantes que equipavam a unidade que conduzimos.

2.0 TDI alia performance e economia de combustível

O grande capot do Tarraco esconde o motor 2.0 TDI de 150 cavalos. Ao experimentá-lo neste grande SUV espanhol, voltámos a deparar-nos com as qualidades que normalmente encontramos noutras propostas do grupo Volkswagen. Uma unidade com funcionamento refinado e com um nível de performance muito justo se considerarmos, novamente, o tamanho e peso do Tarraco. A aceleração de 0 a 100 km/h faz-se em menos de 10 segundos e a velocidade máxima aproxima-se dos 200 km/h. Para além disso, uma gestão eficiente do sistema 4Drive e uma caixa DSG que surpreende sempre pela positiva, permitiram registar uma média final de consumo, sem grandes cuidados, de 7,4 lt/100 km.

Clique aqui para se juntar ao Automundo no Facebook

O preço assusta, é verdade. Mas também é verdade que pouco ou nada falta a este Tarraco que visitou o Automundo. E é preciso referir outro aspeto importante: a tração 4Drive. Se precisa mesmo das quatro rodas motrizes, avance. Mas se o seu Tarraco raramente vai abandonar o alcatrão, a Seat propõe a versão 2.0 TDI Xcellence de tração dianteira e caixa manual por um preço que é quase 12 mil euros inferior, tal é carga fiscal imposta à versão que testámos. Do lado da gasolina e com os mesmos 150 cavalos, está disponível o motor 1.5 TSI. Os consumos serão superiores, mas a diferença de preço poderá justificar alguns cálculos pré-aquisição.

Veja também: Toyota Camry, o regresso de um ícone em versão híbrida

Independentemente da motorização, o Tarraco destaca-se pela habitabilidade e pelo conforto a bordo. Estas são duas das características mais valorizadas pelas grandes famílias e nesse aspeto, o mais recente elemento da oferta SUV da marca catalã está aprovado com ótima nota. Para além disso, no capítulo da segurança, o EuroNCAP distinguiu-o com cinco estrelas, destacando-se com uma pontuação muito elevada na proteção de adultos. À gama chegará em 2020 a versão FR e, um híbrido plug-in desportivo com 245 cavalos e uma autonomia elétrica de cerca de 50 quilómetros.

Preço e IUC

Preço base: 56 501 €

Preço da unidade ensaiada: 62 408 €

IUC: 258,78 €

Ficha técnica

Motor e transmissão

Colocação: dianteira, transversal

Cilindrada: 1968 cc, quatro cilindros em linha

Alimentação: injeção common-rail, gasóleo, turbo

Potência: 150 cavalos às 3500 às 4000 rpm

Binário: 340 Nm das 1750 às 3000 rpm

Caixa: automática, dupla embraiagem, 7 velocidades

Consumo e performance

Consumo médio declarado: 5,6 lt/100 km

Consumo médio verificado: 7,4 lt/100 km

Aceleração 0-100 km/h: 9,8 segundos

Velocidade máxima: 198 km/h

Dimensões

Comprimento/largura/altura: 4735 mm/1839 mm/1658 mm

Capacidade da mala: 760 litros

Percorra a galeria e veja as fotos do Seat Tarraco 2.0 TDI DSG 4Drive Xcellence.

Artigos Relacionados

Artigos Relacionados

Top