Volkswagen T-Cross, muito mais do que apenas um novo SUV
Artigo de João Isaac
13-07-2019

O muito aguardado Volkswagen T-Cross é o mais recente elemento da família de SUV da marca alemã. Tal como os seus meios-irmãos Arona e o futuro Kamiq, da Seat e Skoda, respetivamente, o T-Cross assenta sobre a plataforma MQB-A0 do grupo. Esta é uma das grandes responsáveis pela forma robusta, mas nunca desconfortável, como o T-Cross pisa o asfalto. Os pneus de perfil elevado ajudam, também, neste aspeto, bem como a suspensão, afinada com um ótimo compromisso entre conforto e dinâmica.

Leia ainda: Volvo S90 T8 PHEV, a performance que sabe ser eficiente

O T-Cross não sacode os ocupantes ao rolar sobre pisos degradados, mas também não adorna excessivamente nas curvas. Ainda no que respeita à condução, é importante referir a boa visibilidade em todas as direções. A posição de condução elevada assim o permite, contribuindo igualmente para uma facilidade de condução essencial para o sucesso de um SUV urbano como o T-Cross.

Motor 1.0 TSI é enorme argumento

Quanto a motores, a oferta faz-se com o já muito elogiado três cilindros 1.0 TSI, a gasolina, nos seus dois níveis de potência, 95 ou 115 cavalos. O mais potente está associado a uma caixa manual de 6 velocidades – ou em opção à DSG de 7 relações. Já um T-Cross de 95 cavalos como o “nosso” dispõe sempre de uma caixa manual de 5 velocidades. Como é hábito nos modelos da marca, o tato da transmissão convence.

Veja o vídeo deste ensaio:

Para aqueles que apontam já a diferença de vinte cavalos como um problema, fiquem a saber que ao volante a história é bem diferente. Os números não mentem e o T-Cross de 115 cavalos é, obviamente, mais rápido. No entanto, os enérgicos 95 cavalos e 175 Nm casam bem com o T-Cross, conferindo-lhe uma capacidade de aceleração mais do que suficiente. Apesar do número ímpar de cilindros, as vibrações estão bem contidas. Também o som do motor está bem isolado do habitáculo, notando-se assim, com mais facilidade, alguns ruídos aerodinâmicos em ambiente de autoestrada.

O mais pequeno é bem grande

Dentro da gama de SUV da Volkswagen, o T-Cross pode até ser o mais pequeno. Mas por dentro, o T-Cross destaca-se de imediato por ser um dos mais espaçosos e versáteis do seu segmento. O espaço no banco traseiro, com bom suporte para pernas, é adequado para três pessoas. Quer em comprimento, quer para a cabeça, os centímetros livres impressionam.

Veja também: Suzuki Jimny, até ao fim do mundo e mais além

A versatilidade de utilização do T-Cross é, igualmente, beneficiada pelo banco ajustável sobre calhas, permitindo jogar com o espaço para pernas ou para bagagens. Neste último, o T-Cross volta a surpreender. Mesmo com os bancos na sua posição mais recuada, o volume útil de 385 litros é, ainda que por pouco, superior ao de um Golf, por exemplo.

Com o banco traseiro todo para a frente, o volume máximo de carga é de 455 litros. Ainda no que diz respeito a versatilidade, o fundo amovível permite não só esconder objetos no compartimento abaixo, mas também criar um plano de carga horizontal ao rebater o encosto do banco. A bordo, são três as ligações Isofix e as grandes janelas possibilitam também muita luz natural para os mais pequenos.

T-Cross começa nos 18 770 €

Quanto a equipamento desta versão Life, destaque para o controlo de ângulo morto, para o cruise control adaptativo e para o assistente de faixa de rodagem, este último disponível logo no nível de acesso à gama. O pacote Life Plus da unidade ensaiada tem um custo de quase 1000 €. No entanto, adiciona elementos como os sensores de estacionamento dianteiros e traseiros e o ar condicionado automático. O nível de topo, Style, está exclusivamente associado à versão mais potente do motor TSI.

O T-Cross é um modelo essencial na oferta da Volkswagen. Representa o acesso à gama SUV da marca alemã, bem como uma alternativa de cariz mais familiar, ao Polo, no qual se baseia. No entanto, embora com ele partilhe muitas das soluções técnicas, bem como uma idêntica qualidade de construção – isenta de reparos – o T-Cross utiliza materiais menos agradáveis ao toque no habitáculo.

Clique aqui para se juntar ao Automundo no Facebook

Por outro lado, responde com uma versatilidade e sentido prático bem superiores e com uma oferta de equipamento mais atrativa, considerando versões equivalentes. A concorrência é feroz, quer em qualidade, quer em quantidade, pois são poucas as marcas que se podem dar ao luxo de prescindir de ter um SUV urbano de segmento B na sua oferta. A Volkswagen, com um muito equilibrado T-Cross, aponta ao topo e aos melhores.

Preço e IUC

Preço: 23 424 €

IUC: 102,81 €

Ficha técnica

Motor e transmissão

Colocação: dianteira, transversal

Cilindrada: 999 cc, três cilindros em linha

Alimentação: injeção direta, gasolina, turbo

Potência: 95 cavalos entre as 5000 e as 5500 rpm

Binário: 175 Nm entre as 2000 e as 3500 rpm

Caixa: manual de 5 velocidades

Consumo e performance

Consumo médio declarado: 5,8 lt/100 km

Consumo médio verificado: 6,1 lt/100 km

Aceleração 0-100 km/h: 11,5 segundos

Velocidade máxima: 180 km/h

Dimensões

Comprimento/largura/altura: 4110 mm/1782 mm/1558 mm

Capacidade da mala: 385-455 litros

Percorra a galeria e veja as fotos do Volkswagen T-Cross.

Artigos Relacionados

Artigos Relacionados

Top