Artigo de João Isaac
23-12-2019

A chegada do Natal e do final do ano leva imensas famílias e grupos de amigos para a estrada. Os destinos são normalmente as casas de férias ou de familiares distantes e ainda, noutros casos, locais muito procurados nesta altura do ano como hotéis e estâncias de esqui em zonas onde o inverno é mais rigoroso.

Dicas de condução e de arrumação da bagageira são essenciais

A prática de desportos de inverno reúne cada vez mais fãs e também é essencial que saiba como acondicionar toda a bagagem que vai transportar. No entanto, ainda mais importante é a condução sobre neve e gelo, situação que requer cuidados redobrados. Assim, com a ajuda de Jordi Gené, piloto e amante do desporto, a Seat divulgou uma lista de cinco dicas de condução caso vá celebrar esta época festiva com família e amigos num dos destinos acima referidos.

Leia ainda: Nissan explica como acondicionar as malas para este Natal

Qual o melhor suporte de esqui?

Existem quatro tipos de suporte de esqui: instalação no tejadilho, montagem em roda, magnético ou para gancho de reboque. O magnético é a melhor solução para esquiadores ocasionais mas não se aconselha a circulação a mais de 90 km/h. O suporte de teto e o de reboque são as melhores opções para quem está acostumado a esquiar nas encostas. O novo Tarraco, por exemplo, dispõe de ambos os tipos, podendo transportar até seis pares de esquis ou quatro snowboards. “Se optarmos pelo suporte de tejadilho, as pontas dos esquis devem estar voltadas para trás”, refere Jordi Gené.

É possível transportá-los no interior da viatura?

Sim, é possível colocá-los na mala, sempre numa bolsa específica e devidamente ancorados ao veículo, uma vez que “deixá-los soltos pode representar um grave perigo para os ocupantes, pois num acidente a 50 km/h, um esqui de 5 kg mal posicionado transforma-se num volume com uma força de 150 kg”, adverte Gené.

Como deve ser transportado o restante material?

O equipamento restante também deve ser bem acondicionado no porta-bagagens. Os itens mais pesados devem ser colocados de forma a que não se desloquem com o movimento do veículo. Os mais leves devem ser colocados por cima dos mais pesados, mas nunca em cima da chapeleira. Caso o seu veículo não disponha de pneus específicos para a neve é essencial que “as correntes estejam sempre à mão, na mala, para perder o mínimo de tempo possível na estrada em caso de neve”, relembra o piloto espanhol.

Veja também: 3 sugestões para roadtrip de Natal em Portugal

E no caso de ser necessário mais espaço?

Nestes casos a solução ideal é o baú. A sua principal vantagem é que liberta espaço à bagageira ao passar o material para o tejadilho. Quanto mais baixo o perfil, menos influência vai ter na aerodinâmica do carro e, consequentemente, no consumo de combustível.

É necessário conduzir de maneira diferente?

Todos estes elementos adicionais condicionam a condução e é necessária atenção extra. Em primeiro lugar, antes de se fazer à estrada, deve ser verificada a pressão dos pneus. Depois, “devemos igualmente ter em conta que com o veículo carregado, o tempo de travagem aumenta, pelo que é essencial que se mantenha uma superior distância de segurança ao veículo da frente”, avisa o especialista de condução.

Clique aqui para se juntar ao Automundo no Facebook

Por outro lado, com neve na estrada, é necessário tomar todas as precauções e antecipar as situações de baixa aderência, tais como humidade ou gelo no asfalto. É igualmente muito importante ter o depósito cheio já que “em caso de avaria ou qualquer incidente, podemos usar o aquecimento até que a assistência chegue”, explica Gené. Um último conselho: conduzir sem casaco para que possa ter liberdade de movimentos para poder reagir em qualquer circunstância.

Fotos: Seat

Artigos Relacionados

Artigos Relacionados

Top