Artigo de Guilherme André
30-12-2019

Luís Barroso, presidente da rede Mobi.E, anunciou em conferência de imprensa que os carregamentos de carros elétricos, em rede pública, vão passar a ser pagos. Esta má notícia para os condutores de veículos eletrificados vai ser posta em prática num prazo inferior a seis meses. De recordar que os “abastecimentos” de automóveis elétricos já são pagos nos postos de carregamento rápido e em zonas privadas, aos quais se junta a rede pública.

Leia ainda: 41 carros novos que chegam ao mercado em 2020

Ao nível do preço ainda não há um valor estipulado. No entanto, já se sabe como será feito o processo. Assim, o preço final resultará de várias parcelas: tarifa do operador; tarifa do comerciante de eletricidade para a mobilidade elétrica, algo que inclui o custo da energia, tarifa da entidade gestora, mais concretamente, a taxa de gestão da rede. Ainda assim, esta data pode não ser a final. Isto porque segundo Pedro Matos Fernandes, Ministro do Ambiente, ainda é possível acontecer um adiamento destes seis meses, caso um candidato recorra da decisão final.

Rede de carregamento de carros elétricos vai aumentar nos próximos anos

O presidente da Mobi.E revelou também o lançamento de um concurso público internacional para a concessão dos 643 postos de carregamento. As candidaturas vão terminar na altura do Carnaval, e o concurso deve estar finalizado pela Páscoa. Por fim, Matos Fernandes salienta que este número de postos para carros elétricos deve aumentar nos próximos anos. “Seria uma desilusão se, ao fim de um ano, só estivéssemos a falar destes 643 postos. Ao fim de dois anos estaremos a falar de mais”, conclui.

Clique aqui para se juntar ao Automundo no Facebook

Artigos Relacionados

Artigos Relacionados

Top