Artigo de Guilherme André
26-05-2020

Tal como informámos ainda no ano passado, o carregamento de carros elétricos vai passar a ser pago. O anúncio foi feito por Luís Barroso, presidente da rede Mobi.E que ditou um período transitório de seis meses. Perante isto, este período acaba no primeiro dia do mês de junho. Ou seja, a partir dessa data, os postos de carregamento normal públicos vão passar a cobrar uma taxa de utilização.

Leia ainda: Mazda MX-30 chega em setembro e já sabemos os preços

Ou seja, os postos normais juntam-se aos de carregamento rápido e carregadores em espaços privados no que diz respeito a pagamentos. “Com a conclusão do processo de concessão de toda a rede de postos de carregamento público, a fase plena de mercado a que agora se dá início configura-se como o derradeiro passo para a concretização do Modelo Português da Mobilidade Elétrica.”, pode ler-se no comunicado oficial da Mobi.E.

Carregamento pago de carros elétricos necessita de cartão CEME

Relativamente ao método de utilização, os clientes necessitam de um cartão. No entanto, tendo em conta o fim dos carregamentos gratuitos, os cartões emitidos pela própria Mobi.E deixam de ser válidos. Ou seja, é necessário recorrer a um cartão emitido por um dos Comercializadores de Eletricidade para a Mobilidade Elétrica (CEME) para utilizar os postos de carregamento normal.

Clique aqui para se juntar ao Automundo no Facebook

Artigos Relacionados

Artigos Relacionados

Top