Artigo de Guilherme André
16-10-2019

Fomos até Cascais conhecer a renovação da oitava geração do Volkswagen Passat, um dos familiares mais bem sucedidos de sempre. De facto, com mais de 30 milhões de unidades vendidas, é também o segundo modelo mais procurado da Volkswagen, aqui apenas perde para do Golf. Para atacar o mercado, a gama Passat reforçou a oferta de tecnologia, melhorou a variante GTE e reduziu o preço.

Leia ainda: Harley-Davidson Low Rider S mantém legado da marca dos anos 80

De facto, como em “equipa que ganha, não se mexe”, as alterações exteriores são discretas. Os designers da marca não quiseram alterar em demasia um produto que já é, segundo eles, muito bom. Assim, as principais diferenças são detetáveis nos para-choques, uma nova grelha e relocalização do logo Passat. Outro detalhe que merece destaque é a reestruturação da gama de equipamento. Agora, este modelo tem os níveis Passat, Business, Elegance e GTE, sendo este último a denominação para a versão híbrida plug-in. 

Volkswagen Passat Variant GTE ganha autonomia e perde preço

Tivemos a oportunidade de conduzir a nova Passat Variant GTE, a versão híbrida plug-in que começa nos 48 513 euros, uma das principais apostas da marca para atacar um mercado cada vez mais virado para as energias alternativas. Ao volante da renovada GTE, como é hábito nos veículos da Volkswagen, destaca-se o conforto, com a carrinha a absorver as saliências do percurso com distinção. Já em curva os movimentos de carroçaria são bem controlados. Esta variante está equipada com o 1.4 TSI e um motor elétrico que, em conjunto, debitam 218 cavalos.

Com o aumento das baterias para os 13 kWh, a autonomia é agora de 55 km (valor WLTP) em modo 100% elétrico. Isto representa uma mais valia já que permite, a algumas pessoas, um percurso casa-trabalho sem gastar uma gota de gasolina. Quando selecionado o E-Mode, ou seja, condução em 100% elétrico, a Passat demonstra uma resposta ao acelerador convincente.

Veja também: Toyota mostra evolução do Mirai, o elétrico a pilha de combustível

Já em modo híbrido, a transição do motor elétrico para combustão é discreta e pouco audível. Por fim, quando selecionado o modo GTE, a carrinha ganha uma nova vida e podemos usufruir de toda a potência de ambos os motores. Durante o pequeno percurso com cerca de 100 km, os valores rondaram os 5 lt aos 100 km mesmo com alguns abusos pelo caminho, no entanto, teremos de fazer um ensaio mais rigoroso para confirmar tais valores.

No interior reina o conforto e o espaço

Ao entrar no habitáculo é notória a construção robusta e cuidada, uma característica pela qual o modelo se distingue há anos. Os materiais utilizados convencem, apesar da utilização de alguns plásticos duros ao toque em certas zonas do habitáculo. A boa amplitude de movimentos do banco e do volante ajudam a encontrar a posição de condução ideal, de acordo com as preferências de cada condutor.

O espaço no interior é muito bom para todos os passageiros, no entanto a bagageira da Volkswagen Passat Variant GTE tem capacidade de 483 litros, um valor inferior às versões a combustão (650 litros) devido à inclusão das baterias. Ainda assim, é um valor respeitável tendo em conta o segmento de carrinhas médias híbridas plug-in.

Clique aqui para se juntar ao Automundo no Facebook

Para além disso, a marca apostou na digitalização de vários elementos. Em frente ao condutor, destaque para o novo Digital Cockpit agora com mais informação e diferentes personalizações. Ao centro do tablier podemos encontrar um ecrã tátil de maiores dimensões com o mais recente sistema de infotainment MIB 3. Este aumenta as opções de conectividade e permite o acesso à internet a todos os passageiros. Para além disso a Mobile Key (chave digital), disponível apenas com o sistema de navegação opcional Discovery Pro, permite abrir e ligar o carro através do telemóvel.

Preço da gama Passat começa nos 29 675 euros

Durante a apresentação foram ainda revelados os preços de toda a gama Passat. No três volumes Limousine a versão de acesso começa nos 29 675 euros com o 1.5 TSI (150 cv). Este valor salta para os 36 104 euros com o 1.6 TDI (120 cv e DSG) e termina nos 64 204 euros do 2.0 TDI (240 cv e DSG, versão Elegance). O híbrido plug-in 1.4 GTE custa 44 980 euros, enquanto a versão GTE+ sobe o preço para os 46 764 euros.

Passando para a carrinha (Variant) os preços das versões a combustão iniciam-se nos 32 777 euros do 1.5 TSI (150 cv), saltando para os 40 316 euros do 1.6 TDI (120 cv e DSG) e acabam nos 68 529 euros do 2.0 TDI (240 cv, DSG e Elegance). Já a carrinha GTE, a que conduzimos nesta apresentação, começa nos 48 513 euros e a versão mais equipada, a GTE+, sobe o valor para os 50 068 euros.

Percorra a galeria e veja mais imagens da nova Volkswagen Passat Variant GTE:

Artigos Relacionados

Artigos Relacionados

Top