Artigo de Guilherme André
20-11-2019

A Mini apresentou, antes do Salão Automóvel de Los Angeles, o novo John Cooper Works GP, o topo de gama do fabricante. Algo que salta logo à vista é a imponente carroçaria com vários apêndices aerodinâmicos que lhe conferem um visual quase de competição, mas ao mesmo tempo que devem ajudar bastante na dinâmica de condução. Para além disso, tem potência a condizer.

Mini John Cooper Works GP tem números impressionantes

De facto, o 2.0 sobrealimentado debita uns expressivos 306 cv e 450 Nm de binário, transmitidos para o eixo dianteiro. Assim, a marca salienta que é capaz de acelerar até aos 100 km/h em 5,2 segundos, enquanto a ausência de limitador eletrónico de velocidade permite chegar aos 265 km/h. Com estes números o GP posiciona-se como o mais potente do segmento em que está inserido. Aliás, chega a fazer frente à “armada de luxo” do segmento a seguir composta, por exemplo, pelo Honda Civic Type-R ou Renault Megane RS-Trophy.

Leia ainda: DS 7 Crossback E-Tense é híbrido plug-in topo de gama

Ainda ao nível mecânico, a suspensão do Mini John Cooper Works GP é, de acordo com o fabricante, mais firme, algo que levou a alguns reforços estruturais. De facto, é visível a barra que atravessa o interior do veículo. No entanto, isto “rouba” a possibilidade de ter bancos traseiros, daí ser um veículo de apenas dois lugares. Sem esquecer que esta versão está munida de travões mais eficientes com discos de maiores dimensões. Por fim, a versão GP só vai conhecer 3000 unidades com as primeiras entregas previstas para março de 2020, sendo o preço para Portugal a rondar os 48 900€. Será este o melhor Mini de sempre?

Clique aqui para se juntar ao Automundo no Facebook

Percorra a galeria e conheça o novo desportivo da Mini.

Artigos Relacionados

Artigos Relacionados

Top