Artigo de Guilherme André
24-09-2019

Os condutores portugueses assumem ter comportamentos perigosos enquanto conduzem. Esta foi a conclusão do estudo Global Driving Safety Survey, realizado pela Liberty Mutual, que teve em consideração as respostas de 5004 europeus e 3006 norte-americanos.

O principal objetivo desta investigação passava pela avaliação do comportamento e as atitudes dos condutores, abrangendo seis países: Portugal, Espanha, França, Irlanda, Reino Unido e Estados Unidos.

Leia ainda: Peugeot divulga preços do novo 208 para Portugal

Passando aos dados, Portugal destaca-se entre os europeus pelas piores razões. Relativamente à condução acima dos limites de velocidade impostos pela lei, os que mais o fazem são os americanos (51%). Logo a seguir surgem os franceses (44%) e, no último lugar do pódio, a Irlanda e Portugal (ambos com 42%).

Clique aqui para se juntar ao Automundo no Facebook

No entanto, há outro dado preocupante que remete para o facto dos portugueses liderarem (47%) quando se fala em acelerar nos sinais amarelos. A justificação dada pela maioria dos inquiridos lusos “é o trânsito inesperado, o que os leva a tomar atitudes de risco”, segundo o estudo.

Condutores portugueses são os que mais utilizam o telemóvel ao volante

Ao analisar a utilização do telemóvel, 74% dos entrevistados admite utilizar o telemóvel durante a condução, um valor superior aos condutores dos outros países abrangidos.

Veja também: Tesla faz paragem nos testes e só regressa a Nurburgring em outubro

Relativamente à utilização do telemóvel, 69% dos portugueses olha para mensagens e chamadas recebidas, 52% vê as notificações e 26% lê mensagens ou e-mails. Por fim, 25% envia mensagens de áudio, 20% recorre a apps e 18% utiliza as redes sociais.

Artigos Relacionados

Artigos Relacionados

Top