Artigo de Equipa Automundo
17-05-2021

A Seat prossegue em pleno com os seus planos de eletrificação dos seus modelos, aumentando ainda mais os níveis de eficiência. O processo já em curso recebe agora o segundo modelo plug-in da gama com a introdução do seu primeiro SUV eletrificado, o Seat Tarraco e-Hybrid. Por baixo do capot do grande SUV está a sofisticada tecnologia híbrida plug-in que junta um motor a gasolina 1.4 TSI de 150CV (110kW) com um motor elétrico de 85kW (115CV) associados à caixa DSG de seis velocidades com transmissão dianteira, entregando uma potência combinada de 180kW/245CV e 400Nm de binário. A energia elétrica é armazenada na bateria de iões de lítio de 13kWh colocada em posição baixa na metade traseira do SUV, o que significa que o peso fica com melhor distribuição pelas quatro rodas.

Veja também: Renault Megane RS Trophy, o destruidor de curvas

Seat Tarraco e-Hybrid chega aos mercados europeus e promete arrasar

O sistema alterna instantaneamente entre os diferentes modos de condução: propulsão do Seat Tarraco e-Hybrid em modo 100% elétrico, mistura de propulsão de combustão e elétrica ou com o motor de combustão. A versão híbrida plug-in assegura um alcance de 49km (WLTP) recorrendo apenas à energia armazenada na bateria – perfeito para melhorar a eficiência ou para circular pelas ruas das cidades com restrições mais apertadas na qualidade do ar – e pode ser utilizada até aos 140 km/h, tornando-a incrivelmente versátil. Quando for necessário percorrer distâncias mais longas, o SEAT Tarraco e-HYBRID usa os dois motores, elétrico e a gasolina, para alcançar uma autonomia de 730km sem reabastecimento. Com a propulsão em modo unicamente elétrica, a entrega de potência é progressiva, mas instantânea, significando que o condutor usufrui de uma imensa dinâmica, muito envolvente e de reação instantânea aos seus desejos.

Leia ainda: Mazda MX-5 RF, o carro de fim de semana perfeito para o dia a dia

A tecnologia híbrida plug-in também proporciona um largo poder de controlo do sistema pelo condutor. O Seat Tarraco e-Hybrid arranca sempre em modo elétrico, havendo energia suficiente na bateria. Mas o sistema pode mudar automaticamente para modo híbrido se a energia disponível na bateria descer de um determinado nível ou se a velocidade ultrapassar os 140 km/h. No modo Hybrid, o condutor também pode escolher conservar o nível de energia elétrica, aumentá-lo ou reduzi-lo para um determinado patamar.

Adicionalmente aos diferentes modos de funcionamento híbrido plug-in (e-Mode, Automatic Hybrid ou Manual Hybrid), acessíveis e configuráveis através do sistema de infotainment, o Seat Tarraco e-Hybrid também possui dois botões de acesso específico: e-Mode and s-Boost. No caso do sistema 100% elétrico gastar a carga da bateria até um determinado nível, o grupo motopropulsor ativo o modo híbrido. Uma vez junto de um ponto de carga, necessitando a bateria de energia, bastará colocá-la à carga de forma rápida e simples graças à tomada de carga localizada na zona dianteira no lado do condutor. A recarga demora apenas 3,5 horas através de uma wallbox de 3.6kW ou 5 horas através de uma tomada doméstica de 2.3kW.

Veja também: Ford Focus Active SW, a carrinha perfeita para uma escapadinha de fim de semana

O chassis deste grande SUV, que recebe uma estrutura MacPherson à frente e elementos multibraços atrás, além da direção progressiva com assistência elétrica, assegura uma condução envolvente. Assim, sempre que se fizer ao caminho, a diversão fica garantida. Graças aos modos de condução selecionáveis através do comando rotativo – Eco, Normal, Sport e Individual – a condução e o comportamento do veículo ajustam-se às condições e às exigências do condutor. Com as possibilidades de personalização do modo Individual, ficam disponíveis um enorme número de opções. Portanto, independentemente das condições ou do condutor, o SEAT Tarraco e-HYBRID assegura as melhores características de condução.

Este SUV é capaz de completar a aceleração de 0-100km/h em 7.5 segundos

A agilidade disponibilizada pelo Seat Tarraco e-Hybrid é entregue através da plataforma híbrida plug-in. Embora seja evidente necessitar de mais espaço do que um tradicional motor de combustão, está posicionada para maximizar a dinâmica e minimizar o seu impacto no espaço interior. O peso é distribuído entre a secção dianteira e a traseira do veículo. Por baixo do capot situa-se o propulsor, o motor e a unidade de comando PCU, enquanto na traseira encontramos a bateria de iões de lítio e o depósito de combustível, repartindo as massas pelo SUV de forma equilibrada.

Com a fusão dos sistemas elétrico e de combustão, as emissões de CO2 situam-se entre os 37-47g/km e os consumos entre, somente, 1.6 a 2.1 litros de combustível para cada 100km de viagem, de acordo com os ciclos de teste oficiais. Estes números tornam-se ainda mais impactantes se considerarmos que este grande SUV é capaz de completar a aceleração de 0-100km/h em apenas 7.5 segundos e uma velocidade máxima de 205km/h.

Artigos Relacionados

Artigos Relacionados

Top