Artigo de Guilherme André
14-02-2020

De modo a cumprir as metas de emissões CO2 impostas pela União Europeia, a Suzuki viu-se obrigada a realizar várias mudanças. Depois de retirar o Jimny do mercado europeu, chegou a vez de apresentar uma nova solução para reduzir os valores. Para tal, recorreram a um sistema mild-hybrid de 48V, estreado no Suzuki Vitara. Segundo a marca, esta tecnologia vai permitir reduzir até 15% os níveis de emissões CO2.

Suzuki Vitara ganha mais argumentos

Ainda assim, esta necessidade não pode ser vista como uma coisa má. O recém renovado Suzuki Vitara ganha argumentos com esta nova tecnologia. De facto, o novo motor quatro cilindros 1.4 a gasolina recebe várias melhorias a pensar nas prestações e eficiência. Este debita 129 cv e 235 Nm de binário. O bloco está associado a um gerador de 48V que é alimentado por uma bateria de iões de lítio.

Leia ainda: Renovado Audi Q7 chega a Portugal e já sabemos quanto custa

Este vai auxiliar o motor em alguns momentos, como por exemplo, eliminando a utilização de combustível durante a desaceleração que, consequentemente, reduz o consumo de combustível. De ressalvar que o propulsor elétrico fornece ainda 14 cavalos extra durante as acelerações e retomas. Algo que se mantém é o sistema de tração integral AllGrip.

Clique aqui para se juntar ao Automundo no Facebook

A solução mais eficiente faz com que o preço também aumente. Em suma, são cerca de 1700 euros a mais do que o antecessor. Assim, os preços arrancam nos 23 956€ no Suzuki Vitara 4×2 GLE. Já a variante com tração integral o preço sobe para os 25 835€. Passando para o nível de equipamento mais completo, o GLX, o preço vai dos 26 243€ na variante 4×2, até aos 28 122€ na AWD. Por fim, este sistema mild-hybrid vai chegar ao longo de 2020 ao S-Cross e ao Swift Sport.

Percorra a galeria e veja o SUV nipónico.

Artigos Relacionados

Artigos Relacionados

Top