Artigo de Guilherme André
07-04-2020

A pandemia de coronavírus criou uma grande solidariedade entre empresas para a criação de material médico. De facto, a indústria automóvel é uma das que tem ajudado, principalmente na conceção de ventiladores. A crescente onda de casos nos Estados Unidos da América levou a uma necessidade acrescida deste produto. Perante isto, Elon Musk, dono da Tesla, cumpriu o que prometeu recentemente.

Leia ainda: Volvo quer condução autónoma na próxima geração de automóveis

O carismático líder da marca norte-americana reabriu a fábrica de Nova Iorque para desenvolver um protótipo de ventilador. De modo a evitar custos acrescidos, bem como não sobrecarregar os fabricantes especializados, recorreu a peças utilizadas nos veículos. O projeto foi entregue a três engenheiros que, antes da pandemia, se dedicavam aos sistemas de ventilação e ar condicionados dos Tesla.

Veja o vídeo:

Ventilador da Tesla ainda é um protótipo

Como se pode ver no vídeo, a marca norte-americana realizou uma breve explicação do que estão a desenvolver. Durante o mesmo podemos observar que o painel que controla os parâmetros do ventilador é idêntico aos utilizados no Model 3. Como a Tesla é uma marca exclusivamente dedicada a carros elétricos, não é de estranhar que o ventilador seja a bateria. Esta garante uma autonomia de 20 a 40 minutos. Assim, é possível movimentar o doente pelas instalações, visto que a bateria garante o funcionamento do compressor de ar e botija de oxigénio sem estar ligado à tomada.

Veja também: Alfa Romeo confirma fim do Giulietta ainda este ano

Por agora, não passa de um protótipo e aguarda a aprovação dos serviços médicos. Contudo, em breve o mercado vai passar a contar com ventiladores feitos nos Estados Unidos da América. Para além da Tesla, marcas como a Seat ou grupo FCA também já se dedicaram ao desenvolvimento de ventiladores.

Clique aqui para se juntar ao Automundo no Facebook

Artigos Relacionados

Artigos Relacionados

Top