Artigo de Guilherme André
27-02-2020

A Volkswagen decidiu apresentar as três versões “GT” no novo Golf de uma só vez. Com alguns detalhes e motores bem diferentes, unem-se pelo exterior idêntico. Ainda assim, a casa alemã mantém a tradição e acrescenta na grelha do Golf GTI uma faixa em vermelho, um detalhe que se verifica desde a primeira geração.

Leia ainda: Nova geração do Renault Talisman chega a Portugal no verão

Já o GTE recorre à cor azul, enquanto o GTD usa o prateado. Um detalhe exterior que salta à vista são os faróis de nevoeiro (opcionais). Para além disso, todos apresentam para-choques com um visual ligeiramente mais desportivo, simbolizando o cariz mais aguerrido face às versões base.

Volkswagen Golf GTI mantém motor 2.0 lt turbo

Começando pelo mítico Golf GTI, está equipado com o bem conhecido motor 2.0 litros turbo a gasolina. A potência aumentou face ao GTI base da anterior geração, chegando aos 245 cavalos e 370 Nm de binário. Ao nível de transmissão o cliente pode escolher entre a caixa manual de seis velocidades ou a opcional DSG de sete velocidades. Os engenheiros da Volkswagen pretendem que o novo Golf GTI tenha argumentos para carro de dia-a-dia, mas sempre com o foco na condução desportiva quando solicitada.

Junte-se ao Automundo no Instagram.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por automundo.pt (@automundo_pt) em

Golf GTE aumenta autonomia elétrica

Passando para o GTE, esta é uma variante que tem ganho importância muito por culpa do aumento da procura por carros eletrificados. Assim, está equipado com uma motorização híbrida plug-in que une o motor quatro cilindros TSI de 150 cavalos a um propulsor elétrico com 115 cavalos, conseguindo uma potência combinada de 245 cavalos e 400 Nm de binário. A bateria de iões de lítio permite percorrer cerca de 60 km em modo 100% elétrico, algo que representa um aumento face ao antecessor.

Golf GTD recebe DSG de série

A variante Diesel GTD recorre ao quatro cilindros 2.0 litros TDI que debita 200 cavalos e 400 Nm de binário. Uma das principais diferenças desta variante face às restantes é a entrega de potência desde baixas rotações, algo típicos dos motores movidos a gasóleo. De série está equipado com a transmissão automática DSG.

Veja também: Mercedes-AMG GLA 45 tem motor quatro cilindros mais potente do mundo

No interior, apesar de toda a digitalização e tecnologia já mostrada na oitava geração do Volkswagen Golf, mantém a tradição. Deste modo, os bancos recebem o típico revestimento aos quadrados, vermelho no GTI, azul no GTE e prateado no GTD. Por fim, as três versões devem chegar aos mercados mundiais no final de 2020. Quanto ao todo de gama R, esse deve ser apresentado também nos últimos meses de 2020.

Clique aqui para se juntar ao Automundo no Facebook

Percorra a galeria e conheça as três versões GT do novo Volkswagen Golf.

Artigos Relacionados

Artigos Relacionados

Top