Artigo de Guilherme André
12-05-2020

Depois dos rumores que indicavam a possível saída de Sebastian Vettel da Ferrari, a equipa italiana tornou hoje oficial. O alemão vai mesmo mudar de ares no fim de 2020. Segundo Mattia Binotto, diretor da Scuderia Ferrari, isto foi o melhor para ambas as partes. Contratado em 2015 com o objetivo de levar a equipa ao título, não cumpriu as expetativas. “Não foi uma decisão fácil devido ao valor de Sebastian como piloto e como pessoal. Não houve uma razão em particular para chegarmos a este ponto, além da crença conjunta e amigável de que chegou o momento de seguirmos caminhos diferentes de forma a chegarmos aos nossos objetivos”, referiu Mattia Binotto.

Leia ainda: Carlos Sainz eleito o melhor piloto da história do WRC

Por outro lado, Vettel acrescentou que a decisão não teve nada a ver com dinheiro. “De forma a obter os melhores resultados possíveis na modalidade, é fundamental que todas as partes trabalhem em perfeita harmonia. A equipa e eu percebemos que já não há um desejo comum de permanecermos juntos. As questões financeiras não tiveram qualquer efeito nesta decisão. Não é essa a forma que tenho em conta quando tomo determinadas decisões”, disse Vettel.

Junte-se ao Automundo no Instagram.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por automundo.pt (@automundo_pt) em

Quem será o sucessor de Sebastian Vettel?

Chegou agora a altura da discussão de um dos lugares mais procurados em toda a Fórmula 1. Seja como for, Charles Leclerc sobe agora a piloto mais importante da Ferrari. Os rumores deram a entender que Carlos Sainz ou Daniel Ricciardo são alternativas viáveis. Seja quem for, terá a difícil tarefa de acompanhar o jovem monegasco e corresponder às expetativas de uma equipa que luta todos os anos pelo título de campeão.

Clique aqui para se juntar ao Automundo no Facebook

Artigos Relacionados

Artigos Relacionados

Top