Artigo de João Isaac
15-02-2020

O Mazda MX-5 é um automóvel pensado para quem gosta de conduzir. É essencial deixar esse ponto bem claro. É também um descapotável, mesmo que nesta versão Retractable Fastback inclua uma capota rígida de abertura automática que não só lhe confere um look distinto, como também oferece um superior conforto térmico e acústico. Assim, quer pela condução, quer pelas sensações a céu aberto e design, é imediatamente considerado um veículo de lazer, um segundo carro lá para casa, para se desfrutar nas frescas manhãs ou nos mais calorosos finais de tarde do nosso ainda longínquo verão.

Leia ainda: Renault Captur: passámos uma semana com o SUV mais desejado do segmento

No entanto, os mesmos argumentos que fazem do MX-5 uma das mais envolventes e recompensadoras experiências de condução da atualidade, a sua compacidade e leveza, contribuem igualmente para a facilidade com que se deixa levar a ritmos mais moderados. O facto de ser leve e compacto, não exige portanto um motor grande, sobrealimentado e por isso guloso. Assim, este MX-5 recorre a um propulsor atmosférico com 1.5 litros e 132 cavalos. É uma potência mais do que suficiente para não querer deixar de o conduzir, acredite, bem como lhe permite registar médias de consumo na casa dos 7 lt/100 km, um valor bem apelativo considerando o que oferece.

Junte-se ao Automundo no Instagram

É um motor que gosta de fazer rotação e que enche o habitáculo com um bonito som de admissão quando por ele puxamos. A posição de condução baixa e a colocação dos pedais estão completamente orientadas para uma condução mais focada. E se o motor convence, o que dizer da caixa de velocidades? Uma transmissão manual, de seis velocidades, de tato curto e decidido. É, sem dúvida, uma das melhores caixas manuais do mercado e uma das maiores responsáveis pelo prazer que é conduzir a geração ND do MX-5.

Veja também: Alfa Romeo Giulietta, o familiar que alia dinâmica e elegância como poucos

Caso os argumentos do “pequeno” 1.5 não o convençam – 203 km/h de velocidade máxima e 8,6 segundos dos 0 a 100 km/h – a gama inclui uma opção mais potente, com motor de dois litros e 184 cavalos, igualmente sem turbo na equação. E se preferir a carroçaria mais clássica, com capota de lona, as opções de motorização mantém-se. A Mazda tem assim um MX-5 para todos e todos deviam, pelo menos uma vez na vida, conduzir um automóvel como este.

Clique aqui para se juntar ao Automundo no Facebook

Sim, é verdade que é um automóvel muito baixo e que apenas tem lotação para duas pessoas. A bagageira é curta e no habitáculo existe apenas um pequeno compartimento para guardar as nossas indispensáveis e por vezes volumosas tralhas diárias. Mas é igualmente verdade que andamos quase sempre sozinhos no carro. Assim, caso não esteja a pensar em aderir ao movimento car sharing, mais vale assumir e passar a semana a sorrir, nos trajetos entre casa e trabalho e vice-versa, ao volante de um ícone como o Mazda MX-5.

Ficha técnica

Motor e transmissão

Colocação: dianteira, longitudinal

Cilindrada: 1496 cc, quatro cilindros em linha

Alimentação: injeção direta, gasolina

Potência: 132 cavalos às 7000 rpm

Binário: 152 Nm às 4500 rpm

Caixa: manual de 6 velocidades

Consumo e performance

Consumo médio declarado: 6,3 lt/100 km

Consumo médio verificado: 7,8 lt/100 km

Aceleração 0-100 km/h: 8,6 segundos

Velocidade máxima: 203 km/h

Dimensões

Comprimento/largura/altura: 3915 mm/1735 mm/1230 mm

Capacidade da mala: 127 litros

Percorra a galeria e veja as fotos do Mazda MX-5 RF.

Artigos Relacionados

Artigos Relacionados

Top