Artigo de Equipa Automundo
06-04-2021

O Grande Prémio do Bahrein assinalou a estreia de Nikita Mazepin na Fórmula 1. E verdade seja dita, nada poderia ter corrido pior. O que faz com que aumentem (ainda mais) as críticas ao jovem piloto russo, de 22 anos. Para começar, muitos são aqueles que defendem que Mazepin chegou à Haas apenas porque o pai é um dos principais patrocinadores da equipa. Que é a mesma em que corre Mick Schumacher, filho de Michael Schumacher.

Leia ainda: Mick Schumacher supera o pai e diz que apelido da família é leve como uma pena

Depois, segue-se a corrida de estreia. Nikita Mazepin não passou da curva 3 da corrida que acabou por ser ganha por Lewis Hamilton. Este facto fez com que o piloto fosse alvo de muitas piadas que circulam nas redes sociais. E tudo isto faz com que ganhe o prémio que nenhum piloto da Fórmula 1 queria ter. É que Mazepin é já o piloto mais odiado do circuito. Algo que é alimentado com muitas polémicas.

Pai de Mazepin é um dos principais patrocinadores da equipa em que o filho corre

Em dezembro de 2020, Nikita Mazepin foi acusado de assédio sexual. Isto depois de ter sido partilhado um vídeo no qual o piloto apalpava os seios de uma mulher sem o consentimento desta. Mas há mais, mesmo em pista. Por exemplo, na Fórmula 2 era conhecido pela condução agressiva e toques que dava aos outros pilotos em curvas mais apertadas.

Voltamos ao Grande Prémio do Bahrein. Durante os treinos e na qualificação o piloto fez alguns piões, que lhe valeram a alcunha de MazeSpin. O russo soma ainda recordes que ninguém gosta de deter. É o único piloto com mais voltas de apresentação do que voltas em corrida. Foi também o primeiro a bater na primeira volta da carreira desde 2002, algo que tinha acontecido a Allan McNish e Felipe Massa.

Fotos: Reprodução Instagram

Artigos Relacionados

Artigos Relacionados

Top