Artigo de Guilherme André
20-05-2020

As coisas não estão fáceis para a Nissan, principalmente depois da detenção de Carlos Ghosn por corrupção. Perante isto, dia 28 de maio a marca nipónica vai apresentar um plano de redução de custos que pretende atingir a poupança de 2,5 mil milhões de euros. De acordo com a Reuters, um dos cortes será o fim da marca Datsun, mas não se vão ficar por aqui. Para além disso, vão focar-se em SUV e crossovers, ou seja, vão à procura das massas com aquilo que a grande maioria quer. Por outro lado, isto pode levar ao desaparecimento dos desportivos GT-R e 370Z dos mercados europeus já na próxima geração.

Leia ainda: Ford Ranger recebe edição especial equipada com motor Diesel

Como se isto não bastasse, o plano de redução de custos da Nissan também deve levar ao encerramento da fábrica em Barcelona. Nesta fábrica é montada a Nissan Navara em conjunto com a Mercedes Classe X, um modelo que vai terminar em breve. Ou seja, a marca nipónica vai ter em Sunderland, Reino Unido, a única infraestrutura europeia. Aqui são feitos o Juke e Qashqai, dois modelos com elevada importância no mercado português.

Nissan e Renault devem repensar parceria

Relativamente à parceria com a Renault, esta também vai sofrer algumas alterações. Ao que tudo indica a Nissan vai ficar responsável pelo desenvolvimento de crossovers híbridos, a gasolina e elétricos. Alegadamente, também vão utilizar o símbolo da Renault, à imagem do que assistimos noutros grupos como o da Volkswagen. Apesar destas partilhas, ambas as marcas querem manter o design próprio e manter a distância entre modelos. Já a Renault fica a liderar o processo de desenvolvimento de comerciais e citadinos.

Clique aqui para se juntar ao Automundo no Facebook

Artigos Relacionados

Artigos Relacionados

Top