Artigo de Equipa Automundo
27-01-2020

Se gostas de motas e não conhece o trabalho de Craig Rodsmith, este artigo é para si. O australiano radicado nos Estados Unidos é um especialista em design, modelagem, mecânica e eletrónica. Mas a sua especialidade é mesmo a personalização de motas, trabalho que o acompanha desde 1970.

Leia ainda: Este Lamborghini Veneno Roadster é super exclusivo e vai a leilão

Um dos seus “moldes” preferidos são as clássicas Moto Guzzi, marca italiana fundada em 1921 em Mandello del Lario. São com estas pequenas peças de museu que o artista faz os seus trabalhos mais impressionantes.

“Motas com alma”

O exemplo mais flagrante, e o preferido de Rodsmith, é a personalização que fez a uma Moto Guzzi Ambassador de 1969, a que deu o nome de “Margerie”, por ser, na sua opinião, “uma mota com alma”.

Junte-se ao Automundo no Instagram

 

Ver esta publicação no Instagram

 

Laffite X-Road, o todo-o-terreno que usa um motor V8 de supercarro – Leia a notícia em www.automundo.pt – #automundoportugal #laffite #supercars

Uma publicação partilhada por automundo.pt (@automundo_pt) a

As personalizações de Rodsmith não se ficam pelos exteriores, com destaque para as peças em alumínio, mas também pelos motores que são alvo de várias transformações com o cunho do australiano. Neste caso em específico, não foi o caso. “Eu costumo construir os meus próprios motores, mas este foi construído por Joe Walano no The Guzzi Doctor. Ele é baseado num Eldorado de 850, mas com cilindros de 88 mm que leva o modelo para  os 950 cc”, disse o especialista. Mas melhor que conhecer o artista, o importante é mesmo ver a sua obra.

Clique aqui para se juntar ao Automundo no Facebook

Passe na galeria e veja a transformação preferida de Craig Rodsmith.

Fotos: Rodsmith Customs

Artigos Relacionados

Artigos Relacionados

Top