Artigo de Guilherme André
20-01-2020

É um dado adquirido de que a indústria automóvel está em fase de mudança. Com a eletrificação, começam a surgir várias start-up com inovações que estão a deixar as marcas tradicionais em sentido. Perante isto, Herbert Diess, CEO do Grupo Volkswagen, afirma que o grupo alemão precisa de uma “revisão radical”, de modo a seguirem as tendências de mercado.

Leia ainda: Novo modelo da Tesla pode estar a caminho com ajuda chinesa

“O tempo dos fabricantes automóvel tradicionais acabou”, afirma Diess à imprensa internacional. Para o líder do gigante alemão, é necessário adotar as tecnologias digitais e usou a Tesla como exemplo. Apesar do Grupo Volkswagen ter conseguido vender 10,8 milhões de veículos, um crescimento de 1% face a 2018, Diess acrescenta de que ainda estamos no início das alterações na indústria.

Clique aqui para se juntar ao Automundo no Facebook

Para tal, o objetivo da marca é acelerar a transformação, algo que passa por mais elétricos e foco na digitalização dos veículos. Para além disso, deu o exemplo da Nokia, uma marca de telecomunicações que não soube inovar na altura certa e perdeu o domínio no mercado dos telemóveis para a Apple, bem como para algumas marcas chinesas.

Junte-se ao Automundo no Instagram.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por automundo.pt (@automundo_pt) em

Diess acredita que este é o desafio mais difícil de sempre do Grupo Volkswagen

“A grande questão é: somos rápidos o suficiente? Se continuarmos a esta velocidade, vai ser bastante difícil” avisa Diess. Com esta afirmação podemos esperar nos próximos tempos várias movimentações do Grupo Volkswagen com o objetivo de apresentar novas soluções num mercado cada vez mais competitivo. Tudo isto sem esquecer a necessidade de cumprir as normas de poluição evitando assim possíveis multas avultadas. “Em suma este é, provavelmente, o desafio mais difícil que a Volkswagen já passou”, terminou.

Artigos Relacionados

Artigos Relacionados

Top