Artigo de Guilherme André
27-12-2019

O novo Aston Martin DBX marca um momento histórico para a marca britânica. De facto, este é o primeiro SUV de sempre do fabricante e, ao que tudo indica, tem uma dura batalha pela frente. De acordo com Andy Palmer, CEO da Aston Martin, em entrevista ao Automotive News Europe, o DBX vai ajudar a empresa a voltar a números positivos. Isto porque a Aston Martin registou perdas no segundo e terceiro quarto.

Leia ainda: Este DeLorean elétrico é uma autêntica máquina de drift

“Todos os lançamentos de carros são importantes porque é a maneira como o negócio decorre. Mas em termos de mudar a empresa, para abordar todos os grupos de luxo, isso sim é importante”, afirma Andy Palmer. “Até agora, atualizamos os desportivos e GT, a nossa base histórica. No entanto, este [DBX] é o primeiro modelo a expandir o portfólio”, disse.

Veja o vídeo:

Andy Palmer quer entre 4 a 5 mil DBX produzidos por ano

Perante tamanha importância, Palmer espera que a Aston Martin consiga produzir entre quatro a cinco mil unidades por ano. Para além disso, quer ainda que este modelo seja o mais vendido da marca. “Atualmente, mais de 70% dos clientes Aston Martin têm um SUV na garagem, logo o trabalho mais difícil está feito. Apenas precisamos de converter essas pessoas aos SUV da Aston Martin”, revela Palmer.

Clique aqui para se juntar ao Automundo no Facebook

Ainda assim, há um ponto muito importante a ter em conta: a concorrência. Quando olhamos para o mercado percebemos que o DBX vai ser rival de marcas como a Bentley, Lamborghini, Maserati, Rolls-Royce, Porsche e Range Rover, sendo que todas elas já têm um ou mais SUV no portfólio. Este dado pode vir a ser importante para o sucesso, ou não, do novo DBX.

Percorra a galeria e recorde o novo SUV.

Artigos Relacionados

Artigos Relacionados

Top