Artigo de Guilherme André
12-11-2019

A Ford tem mostrado que não esquece os nomes do passado. De facto, para além do renascer do Bronco e do Puma (desta vez como SUV), as especulações começam em torno de um nome muito acarinhado: o Capri. “Quem não queria trazer de volta o nome Capri?” questionou Amko Leenarts, chefe do estudo de design europeu da Ford em declarações à Autocar. “Fiquei espantado com a quantidade de nomes que nos temos que garantem emoções, positivas e negativas”, adicionou.

Leia ainda: Seat aposta em Mii elétrico para acelerar transição energética

De facto, o Ford Capri, produzido entre 1968 e 1986, vendeu mais de 1.9 milhões de unidades. Estes números merecem respeito e foi um dos carros mais influentes da marca em solo europeu. Ainda assim, os tempos são outros e é necessário realizar um longo estudo de mercado para perceber se este regresso será uma boa aposta. Leenarts relembrou ainda o Ford Probe, considerado o substituto espiritual do Capri, que não teve grande sucesso de vendas.

Veja o vídeo:

Amko Leenarts é chefe de design da Ford há dois anos

Por fim, de salientar que Amko Leenarts é o chefe europeu do design da Ford há dois anos. Leenarts aposta num visual plural, ou seja, sem uma imagem exclusiva para todos os modelos. Ele acredita que esta é a forma que melhor se adequa à marca global que representa.

Clique aqui para se juntar ao Automundo no Facebook

Artigos Relacionados

Artigos Relacionados

Top