Artigo de Guilherme André
07-04-2020

A pandemia de coronavírus teve um grande impacto na indústria automóvel nacional. Tal como já mostrámos, o mercado caiu 56,6% em março e, segundo o representante máximo da ACAP, este valor só não foi pior devido às encomendas que tinham sido feitas antes no coronavírus. Agora, durante este estado de emergência, o Governo voltou a tomar medidas de modo a abrandar o contágio de covid-19.

Leia ainda: Toyota GR Supra mais acessível chega a Portugal

Para tal, o Governo suspendeu o comércio presencial de velocípedes, veículos automóveis, motociclos, tratores e máquinas agrícolas. No entanto, tanto comerciantes como compradores têm uma alternativa válida que é recorrer a compras de veículos online. Esta medida preventiva, que pode ser consultada no Despacho º 4148/2020, vai manter-se até ao fim do estado de emergência. Porém, “podem vir a ser revistas se ocorrer uma modificação das condições que determinam a respetiva previsão”, lê-se no Despacho.

Junte-se ao Automundo no Instagram.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por automundo.pt (@automundo_pt) em

Oficinas e serviços de reboque a veículos continuam em funcionamento

Por fim, embora a venda a retalho de veículos tenha sido suspensa, há outras atividades relacionadas que se vão manter. Falamos de estabelecimentos de reparação ou manutenção, vendas de peças e acessórios, bem como, serviços de reboque. De um modo geral, o principal objetivo é garantir o bom funcionamento das frotas que realizam a distribuição de bens e serviços essenciais. Em suma, com esta medida é esperado que os números do mês de abril, no que diz respeito a venda de veículos, sejam ainda mais preocupantes.

Clique aqui para se juntar ao Automundo no Facebook

Artigos Relacionados

Artigos Relacionados

Top