Artigo de Equipa Automundo
21-02-2021

Parte integrante da nova geração de modelos da DS Automobiles, o novo DS 9 é uma grande e elegante berlina posicionada no topo da gama da marca premium francesa. Com o DS 9 E-TENSE, a DS Automobiles reforça claramente os seus argumentos em ‘design’, sofisticação e tecnologia. O novo modelo faz a síntese perfeita entre tradição, excelente ‘savoir-faire’ e tecnologia avançada. O novo DS 9 E-TENSE pretende ser, em suma, um convite à redescoberta da excelência do automóvel francês.

Leia ainda: Mazda MX-5 RF, o carro de fim de semana perfeito para o dia a dia

Com 4,93 metros de comprimento, 1,85 metros de largura e jantes de grandes dimensões, com 690 mm de diâmetro, o novo DS 9 causa um efeito visual de maior impacte do que muitas outras berlinas da sua classe. O modelo assenta numa nova versão da arquitetura EMP2 (Efficient Modular Platform 2), com uma distância entre eixos jamais alcançada nesta plataforma, o que beneficia muito os passageiros atrás em matéria de espaço e conforto.

Alpine A110S, o desportivo puro e duro com a elegância do passado

O design revela uma silhueta elegante, com um óculo traseiro fortemente inclinado, ao estilo fastback. Com um formato de carroçaria de três volumes, o DS 9 espelha a mais recente linguagem de ‘design’ da DS Automobiles, com uma frente expressiva marcada pelas DS WINGS e o formato paramétrico da grelha, com o seu efeito diamante tridimensional, que acentua o relevo. No capô destaca-se o sabre guilhochado ‘Clous de Paris’, sendo a primeira vez que esta assinatura de interior da DS surge fora do habitáculo.

Veja também: Renault Captur: passámos uma semana com o SUV mais desejado do segmento

Numa alusão direta ao DS original de 1955, o DS 9 revela também formas cónicas nas extremidades exteriores posteriores do tejadilho. Inspiradas na lendária berlina, foram redesenhadas para acolher novas luzes traseiras, que assinalam a presença do automóvel. A fluidez de uma linha ininterrupta traduz-se num contorno que nasce na grelha do capô e evolui pelo para-brisas, tejadilho e tampa da bagageira. As secções laterais são lisas, com uma linha alongada que se prolonga dos faróis dianteiros até às óticas traseiras.

Kia XCeed, um novo formato para uma gama que não para de crescer

Este caráter é reforçado pelos puxadores das portas embutidos, pela cor da carroçaria e pelo tejadilho bicolor, enfatizando a elegância. Na secção traseira é também evidente o objetivo de integrar cada aspeto de ‘esign numa única expressão. Os guarda-lamas traseiros, o logótipo e a tampa da bagageira estão interligados com a mesma fluidez. Perfeitamente integradas neste esquema, as óticas esculpidas assumem o efeito de escamas, criando um contraste de efeito tridimensional vincado. As óticas decoradas por sabres laterais constituem uma homenagem aos elementos de ‘design’ dos grandes carroçadores franceses da década de 1930. Elegante e estreita, a terceira luz de travagem contribui para dar a impressão de a traseira ser mais larga e reforça o efeito visual do óculo traseiro.

Sistema híbrido plug-in com 225 cv e tração dianteira

O novo DS 9 E-TENSE destaca-se com um avançado sistema de motorização híbrida ‘plug-in’ que alia um motor a gasolina PureTech 1.6 sobrealimentado a um motor elétrico, debitando uma potência combinada de 225 cv e disponibilizando 360 Nm de binário máximo. Dotado de uma bateria de 11,9 kWh de capacidade, a autonomia do DS 9 E-TENSE em modo puramente elétrico, de acordo com a norma WLTP, é de 56 km. O consumo em ciclo misto é de 1,5 l/100 km, com emissões de 33-34 g/km de CO2.

Leia ainda: Seat Leon Cupra R ST, a carrinha que nunca vai ver no retrovisor

Acoplado à caixa automática de oito velocidades, o motor elétrico desenvolve uma potência máxima de 80 kW (110 cv) e um binário máximo de 320 Nm. O sistema híbrido aciona o motor elétrico em várias ocasiões, nomeadamente no arranque do automóvel, quando o condutor pressiona mais o acelerador, para ultrapassar, por exemplo, e, evidentemente, no modo de condução elétrico de emissões zero (velocidade limitada a 135 km/h). Para maximizar a eficiência, o modo Electric é sempre selecionado automaticamente no arranque.

Toyota Camry, o regresso de um ícone em versão híbrida

Este modo é complementado por um modo Hybrid, concebido para gerir automaticamente os diferentes tipos de energia: condução 100% elétrica, 100% a gasolina ou a combinação de ambos, se a situação o exigir. Estas transições são extremamente suaves e impercetíveis na grande parte das vezes. O modo E-TENSE Sport aproveita ao máximo a potência disponível a partir da combinação do motor a combustão e do motor elétrico, ajustando o curso do pedal do acelerador, o regime de passagem da caixa de velocidades, a assistência da direção e a resposta da suspensão controlada eletronicamente. Tudo isto aumenta o prazer de condução e a eficácia dinâmica.

Leia ainda: Opel Grandland X 1.2 Turbo, um grande SUV com coração de citadino

O DS 9 E-TENSE utiliza um sistema de regeneração de energia que recupera energia cinética para a bateria nas fases de desaceleração e travagem. O sistema possui uma função “B” que aumenta o poder de desaceleração – e recuperação – do motor elétrico, ativada puxando-se para trás o seletor da caixa de velocidades. Por seu turno, a função E-Save permite reservar níveis de energia na bateria, programáveis através do computador de bordo, para cumprir determinadas secções do percurso no modo puramente elétrico quando, por exemplo, o condutor sabe que vai entrar em zonas urbanas ou exclusivas para baixos níveis de emissões. O carregador de bordo de 7,4 kW permite que a bateria seja carregada em 1h 30m, em pontos de carregamento domésticos ou públicos. O cabo fornecido de série é do tipo Modo 2 8A. O novo híbrido plug-in DS 9 E-TENSE é comercializado em Portugal com preços a partir de 59.100 euros.

Percorra a galeria e veja mais fotos da berlina DS 9.

Artigos Relacionados

Artigos Relacionados

Top