Artigo de Guilherme André
16-03-2020

O coronavírus (Covid-19) está a afetar todas as indústrias a nível mundial. De facto, nem a produção de automóveis escapa ao surto. Já são várias as marcas que preferiram preservar a saúde dos trabalhadores e decidiram mandá-los para casa. Começando pela Ferrari, a marca de luxo italiana decidiu fechar as fábricas de Maranello e Modena até 27 de março. Assim, os empregados passam a trabalhar em regime de teletrabalho. Já a Scuderia Ferrari, equipa de F1 da marca italiana, também suspendeu a atividade operacional depois do sucedido no Grande Prémio de F1 na Austrália. Passando para os “vizinhos” da Lamborghini, estes fecharam os escritórios e instalações em Sant’Agata Bolognese até 25 de março.

Leia ainda: Volkswagen acredita que Tesla está 10 anos à frente nos elétricos

Quanto à FCA (Fiat Chrysler Automobiles), o prejuízo será certamente grande. De facto, foram fechadas seis fábricas em Itália, uma na Sérvia e outra na Polónia. Tal como nos casos em cima referidos, o objetivo é conter a propagação do Covid-19. Tendo em conta que as duas marcas e o grupo FCA têm sede em solo italiano, o país mais afetado até ao momento na Europa, são três decisões que se compreendem.

Junte-se ao Automundo no Instagram.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por automundo.pt (@automundo_pt) em

Ford já fechou fábrica de automóveis em Valência

No entanto, há mais casos pelo resto do mundo. A Ford, encerrou as instalações em Valência após três funcionários terem dado positivo no teste de coronavírus. Assim, tanto o Kuga como o Mondeo, modelos fabricados em Valência, estão parados.

Clique aqui para se juntar ao Automundo no Facebook

Já o Grupo PSA foi mais radical e decidiu fechar todas as fábricas a operar na Europa. Esta decisão afeta França, Alemanha, Polónia e Reino Unido, sendo que as fábricas não vão parar todas ao mesmo tempo. Duas a 16 de março, cinco no dia 17 de março, duas a 18 de março, onde se inclui a de Mangualde em Portugal e, para terminar, Luton e Trnava na quinta-feira (19 de março).

Veja também: Toyota lidera ranking de marcas menos poluentes na Europa

Ainda em Portugal, a Autoeuropa também já tomou medidas para evitar problemas maiores com o coronavírus. Procederam à redução de três turnos para somente um, algo que diminui o volume de produção. Por fim, de referir que sete trabalhadores da fábrica estão de quarentena preventiva.

Artigos Relacionados

Artigos Relacionados

Top