Artigo de Guilherme André
22-01-2020

O Salão Automóvel de Bruxelas, que aconteceu no fim de semana de 18 e 19 de janeiro, passou por um momento de tensão. O grupo de ambientalistas radicais Extinction Rebellion entrou nos pavilhões e realizou um grande protesto. No meio de todo o caos criado as autoridades foram obrigadas a intervir, algo que levou à detenção de 185 ativistas.

Leia ainda: Kia e-Niro chega em abril e já tem preço para Portugal

Como podemos ver no vídeo, os indivíduos que representam o grupo realizaram uma ação que pretendia chocar. Um detalhe que não escapou às várias câmaras presentes foi o vandalismo a alguns veículos expostos, nomeadamente o Peugeot 3008 Hybrid. Para além disso, foram deixadas várias frases relacionadas com novas políticas ambientais. Uma medida que pretendia visar os grandes fabricantes de automóveis a nível mundial.

Veja o vídeo:

Ativistas chamaram ao Salão de Bruxelas o “salão das mentiras”

Por fim, este “ataque” foi planeado nas redes sociais. De facto, os organizadores deste protesto fizeram questão de “avisar” que pretendiam boicotar o evento da capital da Bélgica. Deram ainda o nome de “salão das mentiras” a este salão de Bruxelas. O vídeo mostra a colocação de alguns cartazes espalhados pelo evento, bem como a utilização de uma tinta que simula sangue. Foram também várias as pessoas que fizeram questão de se deitar pelo chão dos pavilhões. O objetivo passou por fingirem-se de mortos, vítimas da poluição que se faz sentir a nível mundial.

Clique aqui para se juntar ao Automundo no Facebook

Artigos Relacionados

Artigos Relacionados

Top