Artigo de Guilherme André
16-04-2020

Depois da queda nas vendas em março ter sido superior a 50%, a Associação Automóvel de Portugal (ACAP), voltou a exigir medidas de apoio ao setor automóvel por parte do Governo. Revelou ainda que, entre 1 e 14 de abril, o mercado de ligeiro de passageiros registou uma queda de 86%. De um modo geral isto representa 838 veículos matriculados. Refere ainda que o problema não é apenas no mercado de automóveis novos. “No mercado de viaturas usadas, a situação é mais complicada ainda, porque, depois daquela data [16 de março], as vendas estagnaram completamente”, lê-se no comunicado da ACAP.

Leia ainda: Novos sinais de trânsito chegam às estradas portuguesas a 20 de abril

Perante esta situação extremamente crítica para o setor automóvel, a ACAP “propôs ao Governo a tomada de medidas para, por um lado, minimizar o impacto desta crise e, por outro, relançar a procura. Estas propostas exigem um plano de apoio ao Setor Automóvel, como um dos mais afetados e que, até ao momento, ainda não teve qualquer particular atenção do Governo, tal como aconteceu noutros setores”. Salienta a ACAP.

Junte-se ao Automundo no Instagram.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por automundo.pt (@automundo_pt) em

Setor automóvel representa 21% do total de receitas fiscais

Entre as medidas pedidas pela ACAP, encontramos a duplicação da dotação da linha de apoio à compra de veículos elétricos. Bem como a criação de uma linha de crédito específica para as empresas do setor “com uma parte do capital a fundo perdido”. Por fim, de salientar que o setor automóvel é responsável por 21% do total de receitas fiscais. Mas também por 25% das exportações de bens transacionáveis. Representa ainda 19% do Produto Interno Bruto (PIB) e emprega diretamente 200 000 pessoas.

Clique aqui para se juntar ao Automundo no Facebook

Artigos Relacionados

Artigos Relacionados

Top